Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Empresômetro começa a funcionar este mês

Geral

Empresômetro começa a funcionar este mês

Sistema funcionará via internet e vai medir abertura e baixa de empresas em todo o Brasil

publicado: 04/09/2014 17h40 última modificação: 04/09/2014 17h40

Brasília - 4/9/2014 - O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Guilherme Afif Domingos, anunciou nesta quarta-feira (3) a criação do Empresômetro, sistema de medição em tempo real, via internet, de abertura e fechamento das empresas no país. O anúncio foi feito durante a posse da nova diretoria da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio – DF), em Brasília. 

De acordo com o ministro, o novo sistema que deverá ser implementado, ainda neste mês de setembro, é uma parceria do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte da SMPE e Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e vai medir os dados de abertura e fechamento de empresas em todo o País. “Com o Empresômetro, acompanharemos o número de empresas que vão nascer no Brasil daqui para frente”, declarou Afif.

Além disso, o ministro destacou que um dos maiores problemas do Brasil é a burocracia, e lembrou que a aprovação da Lei 147/14 é o começo de um processo gradativo de simplificação. “A má burocracia atrapalha a vida do país. E estamos começando a mudar esse cenário pela legislação que rege a vida das micro e pequenas empresas. Investimos na criação de um cadastro único onde o CNPJ é o número de registro para todas as instâncias. Amanhã, o ideal, é que esse atinja também as pessoas físicas do País”.

Outro ponto importante citado pelo ministro em seu discurso foi o crescimento do Micro Empreendedor Individual (MEI), que atingiu a marca de 4,2 milhões de pessoas cadastradas. “Conseguimos tirar da informalidade um número de pessoas maior do que a população do Uruguai. E a nossa meta é trazer para a formalidade, mais de um milhão de pessoas por ano. Estamos fazendo uma revolução”, enfatizou Guilherme Afif.

Por Thaís Victer.