Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Seminário “Brasil Mais Simples” discute desburocratização na abertura de empresas

Geral

Seminário “Brasil Mais Simples” discute desburocratização na abertura de empresas

Representantes da SEMPE destacaram a importância da REDESIM na vida do empreendedor

por publicado: 05/05/2016 11h22 última modificação: 06/05/2016 15h28
Flora Egécia

Nos dias 28 e 29 de abril, o Sebrae e a Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa (SEMPE) promoveram o seminário anual “Brasil Mais Simples”. Na ocasião, Carlos Leony, Secretário Especial da Micro e Pequena Empresa, participou do painel “Integração e Sistema”, e falou sobre os resultados positivos das ações da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (REDESIM) – ação do programa Bem Mais Simples –, e afirmou que o objetivo da efetivação da REDESIM, através da fé depositada na palavra do cidadão, é fazer com que o empreendedor não precise mais enfrentar a burocracia de vários órgãos e entidades. “Gostamos tanto do empreendedor que não queremos mais vê-lo, queremos que ele faça tudo pela internet”, provocou.  Leony afirmou que não se trata de um processo fácil, mas extremamente necessário. 

“Há grande necessidade de melhores sistemas de informações e dados sobre empresas brasileiras. O processo de abertura de empresa não pode ser diferente entre os estados. O micro e pequeno empreendedor não tem condições de arcar com os custos deste processo”, destacou.

Fernando Almeida, diretor do Departamento de Registro Empresarial e Integração (DREI), participou do painel “Registro e Viabilidade”, quando apresentou as competências do departamento e falou sobre a padronização do registo mercantil. De acordo com Fernando, na busca pela padronização, os órgãos e entidades responsáveis pelo registro e licenciamento de empresas pretendem, de maneira uniforme e eficaz, a simplificação de processos, a revisão de sua legislação, a integração com os demais órgãos e a automatização dos processos.

O diretor destacou, ainda, que o excesso de burocracia dificulta a vida do empreendedor, prejudica o ambiente de negócios e incentiva a informalidade. “Racionalizar, simplificar e desonerar o processo de registro de empresas é fundamental para o desenvolvimento econômico do País”, defendeu.

A programação do Seminário contou com debates sobre desburocratização do registro e da legalização empresarial, além de painéis e oficinas para troca de experiências entre Juntas Comercias e órgãos fiscalizadores que compõem a REDESIM.

Por: Débora Vaz