Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Coordenadores estaduais de artesanato reúnem-se na SMPE

Geral

Coordenadores estaduais de artesanato reúnem-se na SMPE

Evento reúne coordenadores na sede da SMPE, em Brasília, até a próxima 5ª feira e discute planejamento de 2015

publicado: 06/05/2015 17h00 última modificação: 06/05/2015 17h26
Crédito da foto: ASCOM/SMPE.

Crédito da foto: ASCOM/SMPE.

Brasília, 05/05/2015 – A Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE) promove reuniões de trabalho com os coordenadores estaduais do artesanato de todo o Brasil até a próxima quinta-feira (7), em Brasília. Entre os temas discutidos, estão a formação de grupos de trabalho destinados a apresentar propostas sobre o aperfeiçoamento do marco normativo e a ampliação das oportunidades de comercialização e desenvolvimento do planejamento estratégico do PAB. Desde agosto de 2014 a secretaria-executiva da SMPE vem dando continuidade ao Programa do Artesanato Brasileiro (PAB).

Segundo o secretário-executivo da SMPE, José Constantino de Bastos Júnior, a Secretaria tem dado atenção especial ao PL 7.755/10, que regulamenta a profissão de artesão. “É importante dar ao artesanato um novo marco normativo voltado ao seu desenvolvimento e proteção “.

Para a gerente do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) da SMPE, Ana Beatriz Ellery, o encontro é importante para traçar metas conjuntas para o desenvolvimento do artesanato brasileiro nos próximos anos. “Enxergamos que a comercialização não deve ser apenas em feiras, por isso a intenção é modernizar estes centros e vitrines permanentes.”, enfatizou a gerente do PAB.

Durante a oportunidade, os coordenadores trocaram experiências por meio da apresentação de ações desenvolvidas nos estados, Para a coordenadora Marilda Rios, do Acre, a reunião também possibilita a troca de informações e a viabilização de ações para os estados. “Conseguimos viabilizar uma parceria com a Apex-Brasil para a abertura de novos mercados, e em breve vamos implantar um centro de negócios para o artesanato e um e-commerce”, destacou.

Por Thaís Victer.